CATEGORIA

S&P atribui rating brAAA a SPIC Brasil com perspectiva estável

04 de novembro de 2022

A S&P Global Ratings atribuiu seu rating de crédito corporativo para a holding SPIC Brasil Energia Participações S.A no mais alto nível da Escala Nacional Brasil como ‘brAAA’, com perspectiva estável.

Esta é a primeira análise da empresa pela agência de rating. A S&P destacou o perfil de risco de negócios satisfatório da SPIC Brasil, que reflete “fluxos de caixa estáveis e previsíveis de seu principal ativo, a Usina Hidrelétrica São Simão”, com 70% de sua energia assegurada no regime de cotas, reajustada anualmente e revisada a cada cinco anos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Esse percentual da tarifa não tem exposição ao risco hidrológico, lembra a agência, transferido para as distribuidoras de energia pela Lei 12.783/2013. Os 30% remanescentes ficam disponíveis para o mercado livre, “cuja base de cliente é diversificada e sólida”.

Segundo o comunicado da S&P, a SPIC Brasil possui “uma política conservadora, mantendo uma parcela dos 30% de energia de São Simão descontratada, o que limita a necessidade de se comprar energia no mercado de curto prazo para suprir os contratos existentes.”

A perspectiva estável no rating reflete a expectativa da agência sobre métricas de crédito mais agressivas por parte da SPIC Brasil, empresa com um plano de investimentos que resultará em expansão de 50% de sua capacidade instalada, adicionando aproximandamente 843,6 MW de capacidade instalada até 2024, com diversificação da base de ativos em fontes eólicas e solares.
“O grupo reportará métricas de crédito mais alavancadas, com FFO (Funds From Operations) sobre dívida menor que 23% em 2022 e 2023, enquanto realiza seu robusto plano de investimentos. Ao mesmo tempo, esperamos que a SPIC Brasil refinancie a sua dívida de São Simão com vencimento em 2023″, ressalta a S&P em comunicado ao mercado.

Em termos de liquidez é previsto que a SPIC Brasil seja capaz de refinanciar suas dívidas devido ao baixo nível de alavancagem, geração de caixa previsível e estável, histórico positivo de relacionamento com bancos e acesso a mercado de capitais. “A análise da S&P Global Ratings dá crédito a qualidade das informações fornecidas pela SPIC Brasil, mostrando uma empresa com boa liquidez, baixo endividamento e com fundamentos para alavancar crescimento através de emissões de dívidas e recursos próprios”, diz o CFO da companhia, Paulo Dutra.

A SPIC Brasil é uma holding que detém 51% de participação na UHE São Simão Energia S.A e possui o direito de concessão da usina hidrelétrica de São Simão, localizada na divisa entre os estados de Minas Gerais e Goiás, com 1.710 MW de capacidade instalada. A UHE obteve da S&P Global Ratings em 28 de outubro de 2019 a nota brAAA/Estável. Em 2022, a agência reafirmou seu rating à São Simão, ao mesmo tempo em que renovou o triplo A da 1ª e 2ª emissões de debêntures senior unsecured da operação. As notas de recuperação 3 dessas dívidas permanecem inalteradas.
A SPIC Brasil também possui dois parques eólicos, Millennium e Vale dos Ventos, localizados na Região Nordeste, com capacidade instalada total de 58 MW.

Em julho de 2022, a SPIC Brasil comprou a participação de 70% em dois projetos de geração de energia fotovoltaica nos estados do Ceará e Piauí, na Região Nordeste. Em parceria com a Canadian Solar, a empresa deve investir cerca de R$ 215 milhões em 2022 e R$ 2,1 bilhões em 2023 na construção destes projetos, que devem adicionar aproximadamente 738 megawatts (MW) de capacidade instalada até o final de 2023.

O que procura?