CATEGORIA

Tecnologia para treinamento em hidrelétrica: SPIC usa HoloLens 2

18 de janeiro de 2023

Óculos de realidade aumentada são usados em simulações de operação. Projeto faz parte do programa de inovação da companhia

A SPIC Brasil passou a usar uma tecnologia inédita no Brasil em simulações e treinamentos operacionais para seus funcionários. Desde o início de 2022, o HoloLens 2 faz parte dos processos de formação e aperfeiçoamento de habilidades na Usina Hidrelétrica São Simão, operada pela SPIC.  

A AQS Tecnologia desenvolveu uma aplicação tecnológica que integra e apresenta o ambiente da galeria elétrica da usina através dos óculos de realidade aumentada e mista da Microsoft, em um case proposto durante a primeira edição do “Geração Inovação”, o Programa de Inovação Aberta da SPIC Brasil, em 2021. A novidade mudou as bases de treinamento e acelerou o processo de digitalização da companhia, que figura hoje entre os maiores geradores privados de energia do país.

“A tecnologia é aplicada simulando o ambiente industrial, em complemento ao simulador digital, no qual é possível fazer uma imersão do colaborador dentro da plataforma de treinamento. Com isso, simulamos operações normais ou anormalidades, fixando procedimentos e providências a serem tomadas conforme o desenrolar da rotina diária. 

Desta forma, o colaborador se ambienta de forma muito mais próxima à realidade com os equipamentos como quadros, botões, disjuntores, sinalizações e na identificação dos equipamentos.”, explica Lucas Pereira, Engenheiro da SPIC Brasil e líder técnico do projeto.

Futuro do treinamento em hidrelétricas

O resultado obtido pela AQS Tecnologia no “Geração Inovação” foi tão significativo que o projeto teve sua segunda fase aprovada para aperfeiçoamento e futura comercialização da solução com os óculos de realidade virtual aumentada voltada para o treinamento e capacitação de novos colaboradores para operação da UHE São Simão.

“Essa tecnologia é de grande importância no processo de inserção da UHE no mundo digital, é uma aplicação de última geração nas atividades de operação e no treinamento dos operadores. Coloca a UHE São Simão como destaque numa aplicação prática através de Pesquisa e Desenvolvimento na área de operação.”, afirma Pedro Curcio, Gerente Senior de Estratégia e Inovação SPIC Brasil.

Inovação para o mercado brasileiro

A SPIC Brasil lançou a segunda edição do Programa “Geração Inovação” no primeiro semestre de 2023. Assim como na primeira edição, o desafio foi trazer sugestões de tecnologia com foco em eficiência operacional para a Usina Hidrelétrica São Simão, localizada na divisa entre Minas Gerais e Goiás, com uma capacidade de geração de até 1.710 MW.

Entre os inscritos estiveram startups, empresas de base tecnológica, centros de pesquisa e universidades. Foram selecionados projetos que serão desenvolvidos dentro dos temas de Operação, Modernização e Fundiário, visando otimizar a operação da hidrelétrica com ideias que podem ser desenvolvidas e aplicadas também em outras plantas geradoras.

“Com essas tecnologias atendemos um dos três pilares habilitadores da nossa estratégia de inovação: a transformação digital, que acelera a aplicação de tecnologias para solucionar as dores e viabilizar a implementação de melhorias para nossos negócios.”, aponta Pedro.

O valor total a ser investido nos projetos selecionados é de R$ 6 milhões, sendo aplicados conforme regulamento do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor de Energia Elétrica da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. A expectativa da SPIC Brasil é ter resultados que otimizem a operação da UHE São Simão, e possam ser adotados em outras plantas geradoras de energia no país. 

Além do projeto de Ambientes Virtuais desenvolvido pela AQS Tecnologia, que utiliza o Holo Lens 2, a segunda fase do desafio teve os seguintes projetos inéditos selecionados:

Monitoramento por drone

Gestão e monitoramento de área florestal no entorno do reservatório da UHE São Simão utilizando a tecnologia de drones e sensores. Esses equipamentos farão a captação de dados que serão processados com base em algoritmos de inteligência artificial para criar uma plataforma Web com Dashboards intuitivas, contendo gráficos, acionamento de alertas e mapas visando a gestão e monitoramento contínuo das áreas de restauração floresta. O Lactec é a instituição de pesquisa desenvolvedora.

Sistema com IA para área de manutenção

Sistema baseado em nuvem e com aplicativo mobile, integrados aos sistemas e bases de dados utilizados nos processos de planejamento e  execução das atividades de manutenção preditiva, preventiva e corretiva da UHE. Inteligência artificial para auxiliar os profissionais de manutenção na otimização do planejamento e execução de suas atividades. A startup desenvolvedora é a Enacom.

Plataforma para dados e tomada de decisões

SPIC-Plan: um sistema/plataforma voltado para o alcance de uma melhoria bastante significativa na coleta de informações da operação em campo, na gestão dos dados e tomada de decisões para promover melhores condições de segurança e conformidade no planejamento e execução das manobras de isolação e bloqueio da Usina Hidrelétrica São Simão. A Aquarela é a startup desenvolvedora.

A SPIC Brasil está sempre em busca de inovação para o setor de geração de energia. Continue a acompanhar os projetos pelo LinkedIn: 

https://www.linkedin.com/company/spicbrasil/

O que procura?