Monitoramento da avifauna e de primatas nos parques eólicos

  • 02 de janeiro de 2021

O monitoramento da avifauna e de primatas é uma iniciativa da SPIC Brasil, que teve a primeira campanha realizada em agosto de 2020 e a segunda em fevereiro de 2021, com o objetivo de fazer o levantamento de dados populacionais das comunidades de aves e primatas no Parque Eólico Vale dos Ventos e verificar prováveis impactos das operações SPIC Brasil nessas comunidades faunísticas.

Até o momento foram contabilizadas 393 aves, de 61 espécies diferentes e distribuídas em 27 famílias. As espécies de aves em maior quantidade são: Tangara sayaca, Tyrannus melancholicus e Cyanerpes cyaneus. Foram encontradas duas espécies endêmicas, são elas: Nystalus maculatus, Hylophilus amaurocephalus Herpsilochmus pectoralis, que é uma espécie classificada como vulnerável pela lista internacional (IUCN).

Em relação aos primatas foram identificadas estas três espécies: Alouatta belzebul, Callithrix jacchus e Sapajus flavius, que teve mais representativa ― 50 Sapajus flavius foram registrados em um único dia.

*Figura: Registro de Sapajus flavius no Parque Eólico Vale dos Ventos, Mataraca – PB (A – biólogo realizando registro no ponto 1; B – Sapajus flavius no ponto 1; C e D – Sapajus flavius no ponto 2). Fonte: Biogeo

 

Em 2021, haverá a segunda campanha, como forma de monitoramento contínuo.


Herpsilochmus pectoralis (macho) – chorozinho-de-papo-preto – espécie classificada pela IUCN como vulnerável à extinção. É uma espécie generalista quanto ao habitat e pode ser encontrada em áreas florestadas, áreas abertas e na borda da vegetação.


Herpsilochmus atricapillus (fêmea) – chorozinho-do-chapéu-preto – ave insetívora que apresenta hábito generalista quanto ao habitat e pode ser encontrada em áreas florestadas, áreas abertas e na borda da vegetação.


Mimus gilvus – sabiá-da-praia –essa espécie é vista na região litorânea, sempre associada a vegetação de restinga. Diferencia-se do sabiá-do-campo (Mimus saturninus) por apresentar a parte superior cinza e a inferir branca.


Nystalus maculatus – rapazinho-dos-velhos – é uma ave que, geralmente, é encontrada empoleirada na vegetação ou em cercas observando calmamente tudo o que se passa ao seu redor. É uma ave insetívora que não é muito seletiva quanto ao habitat e é considerada generalista.


Tyrannus melancholicus – suiriri – ave insetívora comum em áreas urbanas, áreas abertas e ambientes rurais.


Rupornis magnirostris – gavião-carijó –essa espécie em questão é classificada como carnívora e tem preferência por áreas abertas.


Caracara plancus – carcará – ave carnívora, generalista e oportunista. Seu registro foi nas áreas de colheita de cana-de-açúcar, onde foi observado forrageando na área pós-queimada.


Crotophaga ani – anu-preto – ave que vive em bandos, sendo registrada em áreas abertas e na borda da vegetação ao longo do acesso do parque eólico.


Vanellus chilensis – quero-quero – ave que independe de área florestada. Seu registro ocorreu em área aberta.


Trogon curucui (fêmea) – surucuá-de-barriga-vermelha – espécie de hábitos alimentares variados, pois alimenta-se de insetos e frutos. Dessa forma, essa ave foi incluída na guilda onívora. É uma espécie comum em área florestada.

O que procura?